Soldados no Afeganistão utilizam Ondas Curtas

00:27 Fernando Luiz de Souza 0 Comments

As forças da OTAN no Afeganistão começaram a utilizar equipamentos de onda curta de uma forma nada convencional auxiliando os oficiais locais a transmitirem comunicados a maioria dos ouvintes de radio na província de Zabul.

 Nenhuma outra unidade, da Força Internacional de Assistência a Segurança, fez algo igual no pais, disse o Major Joel E. Fix, da brigada de combate. Temos condições de orientar o sinal transmitido para lugares específicos ou ainda cobrir, com sinal de ondas curtas, toda uma província. É a primeira vez que se utiliza um transmissor de alta potencia nas faixas de onda curta no Afeganistão.

 Este transmissor de ondas curtas possibilita ao governo afegão enviar comunicados e noticias para pontos de difícil acesso em Zabul principalmente para zonas rurais. Boca a boca O radio e o boca a boca são as formas utilizadas para ficar bem informado nas zonas rurais do Afeganistão. A ISAF e a OTAN distribuem milhares de equipamentos de radio para toda a população do pais. Esta ideia de distribuir rádios a população surgiu dos soldados da OTAN que observaram o povo afegão e souberam que o radio é muito popular naquele pais.
 A maioria da população possui rádios em casa para saberem noticias através da radio BBC de Londres e Voz da America. Zonas de difícil acesso. O Major Joel E. Fix apresentou as ondas curtas como solução imediata de acesso a populações rurais e que resolveria os problemas de comunicação e envio e recebimento de informações.
 A medida que o governo afegão amplia seu poder em alguns distritos os soldados da OTAN auxiliam na divulgação de medidas sócio educativas, noticias e divulgação da Democracia Parlamentarista.
Em setembro de 2011 governadores dos distritos de Mizan e Dey Chopan na província de Zabul convidaram a todos a participarem de assembleias e eleições utilizando as ondas curtas. A cidade de Dey Chopan possui montanhas e elevações mais altas, da província de Zabul, e também os vales mais profundos.
 Com essa geografia Zabul não é um local de fácil acesso para as ondas de radio. Governo e soldados se unem Soldados da brigada de combate de Stonewall brigade e da brigade de infantaria numero 116 juntamente com as tropas terrestres da primeira brigada mecanizada, soldados do primeiro batalhão dos Estados Unidos e Alasca e todas as equipes em Zabul se reuniram para buscar solução a esse problema de comunicação entre as tropas da OTAN e o povo do Afeganistão. As propostas descritas nas reuniões pelos soldados foram distribuição de panfletos, transmissões de áudio feita por aviões com falantes instalados nas aeronaves; mas todas essas ideias foram descartadas.
 O governo necessita de comunicar-se com seu povo mas a cobertura dos sinais era ruim agravando-se com a geografia do local. Chegamos a conclusão de que um transmissor em ondas curtas seria a solução.

 Quando cotei e analisei algumas marcas de transmissores de ondas curtas me recomendaram a procurar o engenheiro Don Butler que auxiliaria nesse difícil projeto disse o comandante Willian R. O´neal da brigada de infantaria numero 116. Don Butler, veterano da força aérea de 1960 e Radioamador do Texas, colaborou com o desenho e criação do transmissor. O indicativo de chamada de Don Butler é N4UJW. A escolha do tipo de transmissão.
 O sucesso das transmissões em ondas curtas deve-se a técnica denominada Onda Celeste de incidência quase vertical, ou do inglês NVIS ( Near Vertical Incidence Skywave), que reflete os sinais de radio na ionosfera. A diferença de uma antena vertical tradicional de ondas curtas para o sistema NVIS é que as antenas são colocadas na posição horizontal e próximas ao solo.
 A segunda parte da antena NVIS é montada com um cabo ligado a Terra que proporciona o direcionamento dos sinais para um local determinado sem perda e em ângulo reto. Em transmissões de onda curta tradicionais as antenas são colocadas no ponto mais alto possível, disse o major Fix.
 Neste caso, os sinais são refletidos pela camada ionosférica conhecida como F2, mas a cobertura dos locais é limitada. Com o método NVIS e o cabo refletor o sinal sobe até a uma certa altura e segue em ângulo reto proporcionando a cobertura de vales e montanhas. A operação e manutenção ficaram a cargo das forças de coalisão incluindo soldados americanos.
 A primeira vista o transmissor e as antenas, presas com corda de paraquedas, não parecem muito eficientes mas foi a solução das comunicações no Afeganistão. Nosso objetivo é doar este sistema, e todos os equipamentos, para o governo que ajudarão nos momentos de transição. A diferença das novas tecnologias utilizadas hoje e das tecnologias utilizadas pelos soldados da operação Liberdade Duradoura é que o transmissor de ondas curtas e as antenas são de baixo custo e eficazes.
 Para cobrir uma área parecida com a área no Afeganistão seriam necessários 32 transmissores na faixa de FM, disse o sargento Francis O´Brien. Francis O´Brien é membro da equipe de combate da brigada de infantaria numero 116 da Guarda Nacional do exercito de Virginia que trabalha na província de Zabul no Afeganistão.
 Este artigo foi uma cortesia do Terceiro exercito dos Estados Unidos.
 Tradução: Mauricio Beraldo
PY4MAB
 Fonte: BBC Londres

0 comentários: